domingo, 11 de março de 2012

Amores platônicos também têm seu valor


    Segundo Platão, amor platônico,ou qualquer coisa platônica,se refere a algo que seja perfeito,mas que não existe no mundo real,apenas no mundo das ideias.

  Antigamente, no século XVIII, criou-se uma tendência literária chamada "Romantismo" que seguia a linha do platonismo. Poetas desiludidos com a vida escreviam sobre a infância, morte e amores platônicos. Para eles,era uma forma de escapismo. A mulher idealizada era perfeita,pura e inalcançável. Às vezes nem a morte seria a solução para alcançá-la. 

  Não precisamos ser poetas e nem ter vivido séculos atrás para sentirmos,com muita ou pouca intensidade,o tal do amor platônico. Normalmente, esse sentimento começa na pré-adolescência e nos traz a magia de deitar a cabeça no travesseiro e idealizar um momento, um diálogo ou uma situação com a pessoa que está além do seu alcance.

  Não existe idade para amar platonicamente. A pessoa pode ter 12,18 ou 25 anos que,quando aparece,o sentimento é praticamente o mesmo. Digo "praticamente" porque decidimos se sofremos por ele ou não. Ao meu ver, amores platônicos, por um momento, tornam a vida em um conto de fadas. Às vezes vale a pena desligar da realidade para alimentar sonhos que,por sua vez,servem como combustível para fazer a vida valer a pena.

  Eles também podem servir como "tapa-buraco" de uma verdadeira paixão que não deu certo,mas para isso,é necessário que o sonho ande de mãos dadas com a realidade. O platonismo ajuda a mudar o foco, se divertir e levantar o ego. É importante não misturar sentimentos e não tornar seu amor platônico em paixão doentia e sem propósito. 

  Quem acredita sempre alcança. Mesmo a definição de platonismo ser "o ser inalcançável", sabemos que muitas vezes o final é feliz. De tanto idealizar, sonhar, acreditar e CORRER ATRÁS, no fim podemos conseguir o que tanto desejávamos. Não é sempre que dá certo, mas quando acontece, temos duas opções : Ou o momento será o mais incrível de todos, ou será total decepção já que a realidade não condizia com o que pensávamos que seria. 

  
Se o sentimento platônico lhe fizer bem, não importe com o que os outros pensam ou que não te levará a lugar algum. Apenas viva o momento intensamente e saiba que é uma das mais puras e belas formas de amar. Se esse amor se tornar real, ótimo. Mas se não, guarde-o na lembrança e o leve por toda vida, pois amores platônicos também têm sua graça. Principalmente porque são engraçados de contar.

  




  

5 comentários:

  1. Bota engraçados de contar nisso hehehe

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. "Às vezes vale a pena desligar da realidade para alimentar sonhos que,por sua vez,servem como combustível para fazer a vida valer a pena. Quem acredita sempre alcança. De tanto idealizar, sonhar, acreditar e CORRER ATRÁS, no fim podemos conseguir o que tanto desejávamos." Muito interessante.

    ResponderExcluir
  4. Acho que seria um bom tema, escrever sobre traições... Estou curioso para ler seu ponto de vista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sugestão. O tema já está na lista =)

      Excluir